Lições Aprendidas na Austrália e Nova Zelândia: Resumo

Lições Aprendidas na Austrália e Nova Zelândia: Resumo

E-MAILiT

As 35 Lições Aprendidas

São Paulo,BR

Foram inúmeros exemplos de civilidade, caráter, liderança, solidariedade, perseverança, democracia e gestão pública que originaram as lições aprendidas em minha viagem. Algumas lições eram verdadeiros “tapas na cara”! Para rever a postagem original, o fato gerador ou ler novamente o Contraponto basta clicar na respectiva “Lição aprendida” na lista a seguir. Boas recordações!

Lição aprendida #1:  Para que o Turismo possa crescer e se tornar fonte importante de divisas para o país, deve-se impor aos visitantes procedimentos burocráticos mínimos, rápidos, fáceis e com custo razoável, mas sem perda de qualidade no processo de triagem. E, também, oferecer opções de transporte de boa qualidade e acessíveis, em todos os sentidos, para diferentes públicos.

Lição aprendida #2:  O controle das fronteiras por equipe capacitada, cortês, atenciosa e prestativa, mas objetiva e firme, é fundamental para assegurar a qualidade de vida da sociedade.

Lição aprendida #3:  Para que o Turismo seja uma importante fonte de receita para um país, além de ambiente que transmita segurança, é necessário ter infraestrutura hoteleira, de transporte e entretenimento preparadas para oferecer opções que atendam às necessidades de diferentes públicos e infraestrutura humana capacitada  para, com presteza, cortesia e competência, atender e orientar o visitante em suas necessidades.

Lição aprendida #4: Importante! 
Mentira destrói a Confiança.
A Desconfiança cria a Burocracia.
A Burocracia, ao impor dificuldades, torna-se a mãe da
Corrupção, fornecedora de facilidades. 
Portanto, a Mentira é a causa-raiz da Corrupção.

Lição aprendida #5: As drogas lícitas, como o álcool, estão causando danos em todo o mundo. Um problema a ser enfrentado, pois as consequências para a sociedade e para a economia podem ser enormes e, muitas vezes, irreversíveis.

 Lição aprendida #6: Para orientar e estimular a população é importante resgatar a história e manter viva a lembrança daqueles que, com dignidade, trabalho, perseverança e dedicação, usaram seus talentos para erguer a imagem de seu país. Bons exemplos serão sempre bem vindos!

Lição aprendida #7: Educação (de qualidade) para todos deve ter prioridade máxima! O governo australiano oferece escolas primárias, secundárias e técnicas gratuitas e de qualidade para todos os cidadãos. Cursos terciários (universitários)  são pagos. Sabendo que Educação é pré-requisito para a construção de um país com qualidade de vida, TODO cidadão australiano tem acesso a educação de qualidade. Irritantemente óbvio, não?  

Lição aprendida #8: Cultura sem Educação nada semeia. Educação sem Cultura pouco floresce. Educação com Cultura muito frutifica. Museus são repositórios de Cultura. Portanto, imprescindíveis.

Lição aprendida #9: Sendo responsabilidade governamental zelar pela segurança da população, nada mais natural do que o ônus do seguro ser do governo. Lógico e simples, não?

 Lição aprendida #10:  Garantir Educação básica de qualidade e gratuita para todos é função do governo. Imprescindível para assegurar uma boa distribuição de renda pela sociedade, já que a renda de cada cidadão será diretamente proporcional à sua escolaridade.

 Lição aprendida #11:  O conjunto de atividades econômicas de um país deve distribuir adequada e dignamente a renda pela população através do trabalho de cada cidadão. Isto dignifica o trabalho e valoriza o cidadão.

 Lição aprendida #12: O binômio Educação (escolas) e Cultura (museus e arte) deve estar presente em muitos momentos e em todas as fases da vida do cidadão.

 Lição aprendida #13: Importante! É imprescindível a construção de uma identidade nacional única  para que não sejam desperdiçados esforços, recursos e energia em rusgas internas que retardem ou impeçam a construção do país que a sociedade deseja e merece.

 Lição aprendida #14: impunidade fomenta a violência e a criminalidade. Drogas lícitas, como o álcool, fertilizam a violência e criminalidade.

 Lição aprendida #15:  A desigualdade socioeconômica é a principal causa da violência e da criminalidade e só pode ser reduzida eficazmente com Educação, Cultura e trabalho digno.

 Lição aprendida #16: Viver em favelas não é meta de nenhum cidadão, mas sua última, e mais humilhante, opção. Urbanizar favelas é perpetuar a diferença, é coroar a desigualdade, é conformar-se com a desigualdade social.

Lição aprendida #17:  Como é bom poder apreciar uma comida deliciosa acompanhada de um bom vinho, em ambiente aberto, alegre e descontraído com boa música de fundo ...  tudo isso por preço acessível e em absoluta SEGURANÇA!

Lição aprendida #18:  Não confie na sua memória, Miguel!

Lições aprendidas #19:  O ser humano só evolui quando pressionado. Na Nova Zelândia,  conhecida como The Shaky Isles, a natureza faz a sua parte mantendo toda a população unida e em permanente estado de atenção para lutar contra os imprevisíveis terremotos, maremotos, furacões ou erupções vulcânicas. É uma batalha sem fim e para vencer todos os recursos disponíveis deverão ser usados: as palavras de ordem Unidos venceremos e “Precisamos estar sempre preparados!” estimulam a identidade nacional única e a melhoria contínua.

Lição aprendida #20:  A preservação da cultura Maori é ponto de honra. Existe um reconhecimento oficial dos  kiwi eurodescendentes de que os "primitivos" Maori sabiam, e ainda sabem, lidar com a natureza, sua fauna e flora melhor do que eles. Esse legado maori ganha destaque no momento em que ecologia e preservação ambiental são pontos de atenção para manter o presente e para construir o futuro da nação.

Lição Aprendida #21:  O mundo torna-se, cada vez mais, apenas uma aldeia global. Não se pode, não se deve, nem há como esconder mais nada de ninguém. A transparência passa a ser compulsória. As palavras de ordem são ética e valores morais, pois, mais dia menos dia, todos irão saber quem você é.

Lição Aprendida #22:  "Mais vale acender uma vela do que bradar contra a escuridão!" "Faça do limão uma limonada!" Todos conhecemos as duas frases acima e muitos as utilizam com frequência. Mas, conhecer ou falar é muito diferente de aplicar em suas vidas. Talvez o povo neozelandês nem conheça essas duas frases, mas seus conceitos são aplicados diariamente em suas vidas. Não se lastimam, trabalham! Não choram perdas passadas, focam sua energia na administração do presente e na construção do futuro! E, sem reclamar, fazem do azedo limão uma doce limonada!

Lição Aprendida #23: Com visão sistêmica, de longo prazo, conhecimento das características da cadeia automobilística e partindo do princípio que "A Economia deve servir a Sociedade e não o contrário", o governo australiano não impediu as montadoras de deixarem o país. Sabia que o impacto na balança comercial não  seria grande, pois a maior parte dos componentes utilizados para montagem dos veículos já era importada e também sabia que o número de empregos perdidos pela desativação da operação industrial não seria significativo. E prevê que a importação de veículos mais modernos, mais seguros, menos poluentes e mais baratos, além dos benefícios diretos para o meio ambiente e para a sociedade, irá gerar mais empregos do que os eliminados com o fechamento das montadoras.

Lição Aprendida #24:  Originalmente, as atividades econômicas em Little River eram extração de madeira e agro pastoris. Com a redução da primeira e inevitável mecanização da segunda era preciso achar uma nova fonte de renda para a população local. A comunidade e as lideranças locais estudaram, discutiram e aprovaram a ideia de transformar o turismo em sua principal fonte de receita. Com pouco dinheiro, mas muita criatividade, organização, planejamento e trabalho, a matriz econômica da comunidade foi mudada. E a cidade já colhe os frutos de seu trabalho.

Lição Aprendida #25: Educação é pré-requisito para a democracia. Se a população é instruída, mesmo assuntos de maior complexidade técnica podem ser discutidos com a sociedade. Ponderações importantes são levantadas pela sociedade e influenciam decisões do governo. Com a descoberta de novas fontes alternativas para geração de energia, a sociedade neozelandesa protesta contra os riscos inerentes à exploração de petróleo em águas profundas (eles têm uma plataforma atualmente) que seria maior que sua contribuição para a economia nacional. Requer grandes investimentos, gera poucos postos de trabalho e coloca em risco a atividade econômica que mais gera empregos e melhor distribui renda para a população neozelandesa, o turismo.

Lição Aprendida #26:  Como na Grécia antiga - de onde vem a expressão democracia grega - na Nova Zelândia muitas decisões são tomadas pela própria população, havendo aprovação apenas se a maioria assim decidir. O custo deste processo conduzido pelos City Councils é baixíssimo, capta sugestões interessantes (nós somos mais inteligentes do que eu!) e agrada à maioria. Simples não? Não precisam de presidente, 39 ministérios, tampouco de centenas de deputados federais e senadores nem de milhares de vereadores e deputados estaduais. Usam a força e inteligência da sociedade para analisar, decidir e construir uma cidade, um estado e um país melhor. Eficiente, simples, rápido, barato e DEMOCRÁTICO, não?

Lição Aprendida #27:  Com infraestrutura adequada, segurança e educação, mesmo regiões inóspitas podem desenvolver atividades de turismo.  Apesar da pequena área do país, 270 mil quilômetros quadrados, e muitas regiões inóspitas, o turismo representa atualmente 13,3% do Produto Interno Bruto neozelandês, sendo uma das principais fontes de receita e alavancas da economia do país. E a meta do governo é aumentar sua participação para 22% do PIB até 2025.

Lição Aprendida #28:  Como a diversidade cultural embeleza a viagem!A troca de conhecimento é intensa e rica. Fica evidente que, havendo confiança entre as pessoas, o convívio é fácil e a colaboração ocorre naturalmente. Backpackers e turistas vindos de todos os cantos do mundo dão exemplos de civilidade, solidariedade, consciência ecológica e da importância de se evitar o desperdício de qualquer recurso. Poupam energia, separam o que pode ser reciclado, compartilham alimentos, auxiliam,  utilizam quartos coletivos, arrumam suas camas e colocam as roupas de cama e banho para lavar quando deixam o hostel. Portanto, sem sobrecarregar ninguém, é possível viajar com baixo custo e, ao mesmo tempo, aproveitar a viagem para conhecer muito mais do que apenas os lugares visitados.

Lição Aprendida #29:  A formação de cidadãos íntegros, responsáveis e comprometidos com seus países e com a humanidade pode ser alavancada pelo exemplo de sociedades com alta qualidade de vida, respeito à liberdade e valorização do trabalho.

Lição Aprendida #30:  Turismo é criatividade, estimulada por Educação e Cultura! Em pequeno trecho de apenas 23 quilômetros entre Wanaka e Cardrona, mostrado no mapa abaixo, foram criadas atrações turísticas que aquecem a economia local sem necessidade de grandes investimentos. Criaram apenas o essencial para que o turismo floresça: Um MOTIVO - que acompanhado de ambiente seguro, infraestrutura aconchegante e pessoas capacitadas - consegue atrair e manter um fluxo importante de turistas. Também realizam anualmente o Cardrona Folk Music Festival e, desde 2007, o evento Race to the Sky hillclimb conhecido internacionalmente, ambos atraindo milhares de turistas. Franz Josef tem 330 habitantes, Fox Glacier 400 habitantes, Wanaka, um pouco maior, tem 4.500 habitantes e Cardrona deve ter menos de 500 habitantes. Isso prova que tamanho não é documento, pois conseguem atrair mais turistas do que muitos países. Com Gestão Pública, Infraestrutura e doses adequadas de Cultura e Inteligência, os cidadãos transformaram a região em uma parada obrigatória para os turistas que se dirigem para o centro mundial do turismo radical, Queenstown. E assim, pequenas cidades se tornaram grandes negócios.

Lição Aprendida #31:  A gula também existe na Nova Zelândia!

Lição Aprendida #32:  Cultura e Inteligência são coisas absolutamente distintas. Cultura é acúmulo de conhecimento, informações e dados. Inteligência é a habilidade na utilização de conhecimento, informações ou dados. Foi um prazer conversar com pessoas que possuíam as duas características.

 Lição Aprendida #33:  A natureza sempre faz a sua parte. Serão ações do ser humano que irão construir o futuro de um país. A Nova Zelândia entendeu que sua vocação natural é o Turismo, para isso se preparou e agora colhe os frutos.

 Lição Aprendida #34:  É função do governo prover para todo cidadão, indiscriminadamente, Educação de qualidade e oportunidades de trabalho com remuneração digna e proporcional à escolaridade, para incentivar o aprimoramento educacional e cultural que levará à melhoria contínua da qualidade de vida da sociedade.

 Lição Aprendida #35:  Lideranças pautadas por visão, planejamento e  gestão criaram ambiente e anfitriões perfeitos para tornar a Oceania o destino natural do turismo mundial no hemisfério Sul.

Até a semana que vem quando farei o último post ... desta série.

 

2 Comments

  1. Excelente artigo Prof Miguel, realmente uma lição ao nosso país!

    • Bem vindo Lucas ao meu blog, ao nosso blog. Foram tantas lições que criei este blog para compartilhá-las. Sua experiência na Austrália poderá ajudar a enriquecer várias postagens. Sinta-se em casa para comentar, sugerir, colaborar. Lembre-se “Nós somos mais inteligentes do que Eu!” Grande abraço.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>