Lições Aprendidas na Austrália e Nova Zelândia: Akaroa

Lições Aprendidas na Austrália e Nova Zelândia: Akaroa

A baía de Akaroa vista da estrada

Saímos da pequena e criativa Little River e seguimos para a vila de Akaroa. A paisagem ficava cada vez mais bonita, como na foto acima

Akaroa, ou Akaroa Harbour, foi criada a partir de um assentamento de europeus. Os franceses chegaram primeiro por lá, em 1840, e se instalaram. Mas, em 1850, um acordo entre maoris e ingleses, assinado em Akaroa, expulsou os franceses e os ingleses tomaram posse do lugar, um porto estrategicamente protegido pelas paredes da baía.

O motorista, que também era o guia, explicou que existe um projeto para resgatar uma ferrovia histórica entre Christchurch e Akaroa, iniciada em 1866, que passava pelo outro lado do lago Forsyth, oposto ao da rodovia. Querem mais uma atração turística e um modo de reduzir a poluição e o tráfego nas estradas da região.

No caminho vimos placas do grupo Deep Sea Oil Drilling Protesters protestando contra a extração de petróleo em águas profundas. O maior temor é de que um eventual vazamento de óleo em águas profundas, pela difícil contenção, poderia prejudicar o turismo, principal fonte de receita da Nova Zelândia. Os debates com a sociedade sobre assuntos relevantes são realizados com frequência e se estendem por longo tempo.

protesters_Waitangi1

Chegamos e fizemos um rápido tour de ônibus pela graciosa vila. Almocei no tradicional Fish&Fries. Bom e barato. Lá encontrei uma companheira de excursão, Nanette, artist&pottery, aposentada, que vive em Bay of Islands, na costa leste da Ilha Norte, e nas férias viaja pelo mundo como backpacker. Descobri que ela também havia ficado no YMCA em Christchurch, coincidentemente no mesmo quarto que eu estava ocupando.
Caminhei pelo centro da pequena vila onde tirei inúmeras fotos como as abaixo.

Akaroa - Centrinho simpático, belas casas , escola e biblioteca, como sempre.

No horário estabelecido, 12h30, eu estava no pier esperando para embarcar na lancha catamarã e fazer o passeio pela grande baía que iria até o mar aberto. As montanhas que circundam a baía são imponentes. O passeio foi realizado com um céu de azul intenso que fazia uma linda parceria com o verde do mar, como podem ver nas fotos abaixo.

Passeio pela Baía de Akaroa - vida selvagem e paisagens belíssimas.

O barco foi seguido por grupos de mini golfinhos, que, quando adultos, medem pouco mais de um metro de comprimento. As paredes íngremes que circundam a baía são muito altas e as cavernas são impressionantes. Vimos focas tomando banho de sol e a cor da água era um show a parte. Fomos até o limite da baía, onde começava o alto mar, e voltamos. Um passeio de duas horas navegando pela baía conhecendo os pacíficos habitantes da região.

Lição aprendida #25
Educação é pré-requisito para a democracia.
Se a população é instruída, mesmo assuntos de maior complexidade técnica podem ser discutidos com a sociedade. Ponderações importantes são levantadas pela sociedade e influenciam decisões do governo.

Com a descoberta de novas fontes alternativas para geração de energia, a sociedade neozelandesa argumenta que o risco inerente à exploração de petróleo em águas profundas (eles têm uma plataforma atualmente) seria maior que sua contribuição para a economia nacional. Requer grandes investimentos, gera poucos postos de trabalho e coloca em risco a atividade econômica que mais gera empregos e melhor distribui renda para a população neozelandesa, o turismo.

Contraponto
Turismo - Por suas características geográficas e ausência de catástrofes naturais, o Brasil teria tudo para se tornar o principal destino do turismo mundial. Esta seria a vocação natural de um país com mais de sete mil quilômetros de costa, grandes bacias fluviais, montanhas, zonas rurais, pantanais, florestas tropicais e grandes centros urbanos.
Mas, mesmo com a natureza fazendo a sua parte e nos presenteando com um verdadeiro "berço esplêndido", o Brasil atrai poucos turistas internacionais ficando, em 2012, em 45o. lugar em número de turistas internacionais no ranking internacional. Enquanto a França atrai 85 milhões de turistas por ano, no Brasil esse número mal supera 6 milhões, perdendo da Catalunha, uma região espanhola.

A  baixa atratividade do Brasil para o turista internacional é consequência do péssimo desempenho  nos alicerces do turismo:

  • Segurança - não ostensiva ou policial, que permita a criação e manutenção da sensação de segurança para o turista. 
  • Educação - essencial para oferecer atendimento e serviços de qualidade, 
  • Saúde - para assegurar atendimento emergencial de qualidade e
  • Infraestrutura - hoteleira, transporte, comunicação, energia, saneamento.

Democracia - No Brasil, o baixo nível educacional e estilos autoritários de governo impedem que decisões importantes como investir ou não mais de meio trilhão de Reais para de explorar as reservas do pré-sal existentes na costa brasileira - possam ser democraticamente discutidas com a sociedade.
A população, cada vez mais infantilizada, não participa de decisões e não tem um sistema político que a represente. Questões elementares -  como medir o retorno do investimento; se ele irá, realmente, trazer os benefícios desejados; se não deveria ser investido em outras necessidades mais prioritárias da sociedade e, também, se não colocaria em risco outras atividades econômicas importantes como a pesca, o turismo, a fauna e a flora - não foram, nem serão feitas tampouco respondidas

4 Comments

  1. O turismo de Banânia não vai adiante seguramente por falta de educação! Explico – constituem um desrespeito (falta de educação) as condições de infraestrutura e mobilidade no país. Transportes precários, hotéis mambembes e falta de profissionalismo do pessoal destacado para “atender” o turista (nacional ou internacional). O abandono de nossas ruas, parques e monumentos é de dar vergonha em qualquer um…sujeira, falta de sinalização adequada e por aí vai. Embora eu acredite que um país precisa primeiro de uma identidade forte, antes de se preocupar com os que vem lá de fora, também no quesito “turismo”estamos mais do que mal na foto!

    • A Educação é a base para tudo em uma sociedade. E a Cultura direciona as expectativas. O intercâmbio com turistas estrangeiros traz uma riqueza cultural imensa para qualquer país. Mas como “Satisfação = Percepção – Expectativa“, para muitos políticos não interessa o convívio com povos mais exigentes. Aumentar a expectativa do povo brasileiro é mal visto por eles, pois teriam que trabalhar para melhorar a percepção da sociedade!

  2. Por suas características geográficas e ausência de catástrofes naturais, o Brasil teria tudo para se tornar o principal destino do turismo mundial…….. me lembrou da velha piada: E Deus respondeu, mas vocês vão ver o povinho que eu vou colocar lá!

    • …se considerarmos que a Oceania foi povoada por egressos do sistema penitenciário britânico, talvez a frase mais adequada para a piada fosse “mas vocês vão ver as lideranças que eu vou colocar lá!”

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>